Sobre abrir uma micro-torrefação de cafés especiais

conversando

Nada melhor que inaugurar este web-espaço com um post falando sobre o porquê alguém em sã consciência decide largar tudo e abrir uma torrefação de café em uma garagem. 

 

Assim, quando eu digo 'largar tudo' - pelo menos no nosso caso - não quer dizer que a gente abriu mão de uma carreira em uma área completamente diferente ou algo do tipo: todos os sócios já trabalharam/trabalhavam com café. 

 

Nós abrimos mão de um modelo de negócios dentro da indústria do café que tinha valores dos quais não compartilhávamos - algo mais para negócios e indústria do que para café, risos. 

Não estamos negando a parte do negócio, afinal nós precisamos pagar contas e queremos fazer isto convencendo você a comprar nosso café (risos, de novo). 

 

A diferença é que nós queremos construir um lugar que valorize o que o esforço humano (plantando& colhendo, torrando&servindo) agrega na experiência dos outros seres humanos que desfrutam (ou seja, você que bebe café conosco e ri das nossas piadas). 

 

Então foi basicamente isso que a gente escolheu fazer: café, café gostoso. Café que faça você dizer coisas como 'Hmmmm' ou 'O que foi isso? Minha língua acaba de ser atropelada!'. 

 

Foi por isso que, a cerca de dois anos e meio atrás, pegamos todo o dinheiro que tínhamos, compramos um torrador, algumas sacas de café (café fod* p* cara**, diga-se de passagem) e colocamos ele na garagem da pessoa mais paciente e dedicada do mundo – imagina o quão paciente e dedicado você precisa ser pra deixar seus amigos montarem uma fábrica dentro da sua casa. 

 

Enfim, acho que estamos minimamente apresentados. 

Espero que você encontre nesse espaço leituras agregadoras, 

 

Com Café e Amor,  
 
Henrique Ortiz 


Post seguinte


Deixe um comentário